segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

O mundo da prostituição masculina


Apontando popularmente como uma das profissões mais antigas do mundo, a prostituição é algo que nossa sociedade veladamente aceita e recorre em todos os níveis sociais. Comumente, as mulheres são o gênero que imediatamente nos vem a mente quando pensamos em prostituição e, como um homem ávido por experiências, confesso que já fiz uso de serviços de putas. Grandes capitais em todo mundo possuem até zonas consagradas para buscar esse tipo de prazer fácil e no Rio de Janeiro a mais famosa atende pelo nome de Vila Mimosa.

Não sei descrever bem o lugar mas quem tem curiosidade, saiba que há mulheres nuas em becos e vielas te chamando pra fazer programas (que variam de preço e sempre podem ser negociados), muitos barzinhos, bebidas baratas, drogas e uma sensação angustiante (pelo menos pra mim) ao mesmo que claustrofóbica. Por qual razão fui? Amigos! Ora bolas...

E com um amigo, mais recentemente, conheci um local que jamais imaginei existir no Rio de Janeiro. Sabem o "Mundo Invertido" da série Stanger Things? Então... Pensem na versão "invertida" da Vila Mimosa. Não entendeu o que eu quis dizer? Então pensa num ambiente em que no lugar de garotas de programas há... GAROTOS!

O espaço, localizado na Zona Sul da cidade, abriga um ambiente misto de sauna, cabaré e bar onde abertamente rapazes ficam transitando e oferecendo seus serviços para clientes que frequentam o local.

O tipo de cliente que vai no espaço é na maioria homens gringos (aqueles brancões que chegam vermelhos depois de um dia de praia sem proteção adequada na pele :P) e velhos (as Cacuras!). Aliás, todo estereótipo de "gay da 3ª idade" que você possa imaginar é visto no local... Pensa numa cruza de Clodovil com Amaury Jr e Agnaldo Silva. Bizarro, não?

Mas o que me fez pensar em fazer esse post não foi a descoberta dessa "Vila Mimosa Invertida" (rsrsrs). Navegando na web, já entrei em sites de "acompanhantes masculinos" que são aqueles rapazes com os quais você combina um valor e local e vai fazer sexo no motel. Em comum, a grande maioria são jovens entre 20 e 30 anos de idade - aparentemente - com corpos super trabalhos na academia e umas rolas bem generosas (tanto em grossura quanto em tamanho!).

Só que tudo estava na internet; dentro o computador.

Na vida real, verdadeiramente você encontra essas pessoas oferecendo seu corpo; mas o "estilo" (pelo menos nesse local em que fui) era mais "popular". Como assim? Já ouviram falar de "Book Rosa" né? Popularizado graças a uma minissérie da Globo (Verdades Secretas... Aquela em que tinha muita bunda de homem gostoso do elenco da emissora :P); a versão "Azul" desse "catálogo de prostituição de luxo" existe e preenche-lo existe uma série de condições e requisitos que não são bem o tipo de coisa que você encontra ao vivo.

Tem homens de tudo que estilo pros mais variados gostos e é esse o ponto que me fez escrever esse post: a maior parte dos michês são... "Heterossexuais".

Antes que você se levante da cadeira e esbraveje algo tipo "Como assim??? O cara dá o cu ou come outro homem e é hetero??? Você tá louco!!!", EU penso que a definição de rótulos para as mais variadas camadas para sexualidade humana é algo meio incoerente. Farei um post só sobre esse meu ponto de vista, mas por hora o que compartilho com vocês é fruto tão somente de observação...

No espaço, existia uma sala de vídeo em que vídeos pornôs heteros eram exibidos e praticamente todos os michês da casa entravam lá e assistiam os filmes "recarregando" o tesão. Isso mesmo que você leu: os caras se excitavam VERDADEIRAMENTE vendo pornô hetero e quando estavam com o pau bem meia bombão, eles se enrolavam em suas toalhas e iam "caçar clientes".

Discretamente ouvindo as conversas, fiquei ainda mais "chocado" ao descobrir que muitos possuem MULHER e até FILHOS.

Meu cérebro "bugou" tanto quanto o seu pode estar agora.

O que leva um homem hetero da sociedade a buscar esse meio de vida para ganhar dinheiro? E como é o sexo com um tipo desse?

Bem... Meu amigo hetero que frequenta puteiros com mulheres me disse que gosta de conversar com as putas e não é incomum elas falarem que fazem faculdade (!) e têm filhos. E não é incomum também algum cliente se apaixonar e "tirar a menina da vida"... Outro amigo que faz uso dos serviços das messalinas (rs) disse que elas fazem tudo que você quer e se você for um "boy no padrãozinho" elas até abrem mão de cobrar pelo serviço (!!!). 

Com homens o negócio já muda um bocado de figura... Um amigo que já usou os serviços de um michê disse que é tudo bastante insosso. Eles querem terminar rápido; a excitação não é das mais potentes e a maioria esmagadora gosta de ser apenas ativo. E o preço pra eles fazerem o passivo no programa é BEM mais caro.

Eu confesso que fiquei um tanto atordoado na primeira vez em que tive contato com esse mundo - da prostituição masculina - e mesmo indo mais de uma vez (pra tentar desfazer a impressão ruim) eu ainda me sinto incomodado com o ambiente - muito mais do que me incomodo quando estou no meio das quengas de um puteiro "tradicional".

A dinâmica do acesso ao sexo fácil é o mesmo que com mulheres (eles que vem pra cima de você seduzir!), mas acho que em tempos onde convivemos com tantas opções de aplicativos e websites para relacionamentos, paqueras ou encontros; recorrer à prostituição me soa um tanto incoerente...

Mas todos temos nossas fantasias. Todos já foram jovens inconsequentes um dia (só isso justifica minha ida numa zona de prostituição com amigos heteros... E acreditem: é divertido!). Todos ficaremos velhos amanhã. Não julgo. Até tenho curiosidade em estar com um michê. Mas essa curiosidade não é suficiente para o estopim da coragem.

Até mais.


Grupo no Telegram: https://t.me/joinchat/CzFBkUN7z8vy133Lt965JQ
Twitter: @Leoncunt
Foto do post: Helio Beltranio

Nenhum comentário:

Postar um comentário